Metodologia

A metodologia de ensino do WimBelemDon foi construída ao longo de 20 anos. No começo, havia muito mais a intenção de ajudar as crianças do que uma proposta concreta e formalizada de como isso seria feito. 

No entendimento dos fundadores, uma premissa já estava posta: o projeto não se resumia ao tênis. O esporte foi a forma de chamar as crianças para WimBelemDon, para que se pudesse fazer muito mais por elas.

A construção

No dia 20 de março de 2003, começou a ser oferecida uma oficina de leitura. Uma vez por semana, um voluntário reunia as crianças sentadas em roda e as fazia viajar pelo mundo dos livros. 

Nesse período, o projeto funcionava duas vezes na semana. Logo depois, passou para três. As duas atividades (leitura e tênis) complementam-se até 2005, quando foi fechada a primeira parceria pedagógica do WimBelemDon, com o Yázigi. Era a oportunidade para as crianças aprenderem outra língua. Mais um benefício. Uma evolução que aconteceu naturalmente.

Foi em 2010 que teve início um trabalho efetivamente focado na formação das crianças. A psicopedagoga Mariana Vega Marona, vinda de uma escola de metodologia Waldorf, trouxe seu conhecimento para o WimBelemDon e propôs a criação de um laboratório de aprendizagem.

Paralelamente, o primeiro psicólogo contratado pelo projeto, Cassiano Pires, começou a trabalhar a psicologia do esporte e introduzir oficinas socioemocionais na rotina das crianças. A entrada de estagiários para ajudar no desenvolvimento dessas ideias fez com que a estrutura pedagógica tomasse corpo. 

Hoje a realidade é diferente. Por conta da pandemia, essa estrutura com os estagiários foi interrompida. Em 2022, com a volta das atividades coletivas 100%, voltamos com três estagiários, que se unem a Psicóloga Victória Braga.

Plano Político Pedagógico

A construção do plano político-pedagógico começou em 2013, com a iniciativa do estagiário de Psicologia Guilherme Barros da Luz, que capitaneou essa tarefa. Todas as áreas do projeto (laboratório de aprendizagem, psicologia, esporte, administração) uniram-se para pensar de que forma seria possível trabalhar de forma mais integral com as crianças. 

Em 2014, estava formalizado, então, o Plano Político-Pedagógico (PPP) do WimBelemDon, que tem como um dos seus fundamentos o ser humano e a sua conexão com o mundo.

O desejo era ter um ensino de qualidade capaz de formar agentes de mudança, em seus meios e na sociedade, para que ela seja mais evoluída e humanitária. Trabalhos de profissionais como Noemi Paymal, Ken Wilber, Daniel Goleman, Howard Gardner, Vigotsky e Piaget foram inspiração para a pedagogia do projeto, que tem como base nove pilares de desenvolvimento integral focado no SER.